A Fundação Brasileira de Teatro

Art. 6. A Fundação Brasileira de Teatro visa ao desenvolvimento do Teatro Brasileiro e das Artes, especialmente no seu aspecto educacional e terá como principais finalidades:
I-Interpretar o pensamento, as aspirações, os reclamos e a expressão cultural e artística do Teatro Brasileiro.
II- Preservar a dignidade profissional do Teatro no Brasil.” (Estatuto da Fundação Brasileira de Teatro)

A Fundação Brasileira de Teatro está criada para servir o Teatro. Não ignoro as lutas que vão ser lutadas, nesta hora de confusões e imprevistos. Mas pela força de nossa mútua crença nos ideais que defendemos; de nossa solidariedade nos momentos graves; pela troca e pela dádiva do que houver de melhor em nós mesmos, preservaremos esse ideal que sobreporemos a todas as confusões, a todos os imprevistos. Acreditamos no sonho que se concretiza, no ideal que se faz ação e obra. (Dulcina de Moraes, 1955, aula inaugural da Academia Brasileira de Teatro)

Em 1955 tem início a Fundação Brasileira de Teatro no Rio de Janeiro. Mantidas pela FBT inauguram-se à época Academia Brasileira de Teatro que futuramente se converterá na Faculdade de Artes Dulcina de Moraes e a Associação Brasileira de Teatro. Grandes nomes das artes no país assinam como sócios fundadores da fundação:
Adolfo Celi
Antonio Callado
Antonio Pereira de Araujo
Armando de Assis Pacheco
Bandeira Duarte
Bibi Ferreira
Brenildo Meirelles Tavares
Cacilda Becker
Carlos dos Santos Brant
Carmen Dolores Caran
César Ladeira
Conchita de Moraes
Dary Hugo dos Reis
Dolores Caminha
Dniester Marques da Silva
Dulcina de Moraes
Edith Moraes
Elsa DeschatreLongoni
Floriano Faissal
Genolino Amado
Guilherme Figueiredo
Heber de Boscoli
HenrietteMorineau
Ismenia dos Santos
J.M. Figueiredo Neto
Joracy Camargo
José Caran
José Paulo Moreira da Fonseca
Leana dos Reis
Leonice Léa Correia Leal
Licínio Ferreira Neves
Lúcia Benedetti
Luciano Trigo
Luiz Delfino
Luiz Iglesias
Manuel Durães
Margarita HaydeéSalaverry
Maria Clara Machado
Maria Jacintha
Neide Coelho
Odilon Azevedo
Oswaldo Motta
Paulo Autran
Pedro Bloch
Raymundo Magalhaes Junior
Renata Fronzi Ladeira
Sandro Polônio
Silveira Sampaio
Thereza Cristina Pinto Martins
Tônia Carreiro
Victor Costa
Waldemar Figueiredo
Yara Salles

O primeiro time de docentes da ABT era de artistas de diferentes linguagens da mais alta representatividade na cena nacional:
Adolfo Celi, Bandeira Duarte, Cecilia Meireles, Dulcina de Moraes, Elsie Lessa, Eduardo Laeffler, Gilberto Amado, Hector Henriques, HenrietteMorineau, Henrique Oscar Silva Araujo, João Cabral de Melo Neto, José Carlos Lisboa, José Paulo Moreira da Fonseca, Josué Montello, Junito Souza Brandão, Ledo Ivo, Luciano Trigo, Margarida Bandeira Duarte, Maria Clara Machado, Renato Alvim Correia, Roland Corbisier, Adonias Filho, Alceu Amoroso Lima, Ataíde Coutinho, Guerreiro Ramos.

Durante treze anos seguidos a FBT funcionou no Rio de Janeiro, formando alguns dos mais importantes atores, diretores, cenógrafos e críticos do teatro Brasileiro tais como: Rubens Corrêa, Ivan de Albuquerque, Yan Michalski, Cláudio Corrêa e Castro, João das Neves, Françoise Fourton, Irene Ravache.

A vinda de Dulcina de Moraes para o Distrito Federal

No final dos anos 60, à época da recém-inaugurada Brasília, Dulcina começa e ser incentivada por personalidades como Darcy Ribeiro e Sarah Kubitcheck a transferir sua fundação para a nova Capital. A iniciativa, cercada de lendas, como Dulcina ter sonhado com uma cidade de terra vermelha e ter, aleatoriamente escolhido o local do terreno do edifício da fundação fechando os olhos e apontando o dedo no mapa, rendeu anos de árduo trabalho até sua completa realização. A atriz vende seu teatro e sua casa no Rio e doa todo seu dinheiro para a construção do edifício que até hoje abriga a Fundação Brasileira de Teatro e suas principais instituições por ela mantidas, a Faculdade de Artes Dulcina de Morais e o Teatro Dulcina no Setor de Diversões Sul, centro de Brasília. Dulcina muda-se para a nova capital federal em 1972.

O prédio todo da Fundação é esboçado por Oscar Niemeyer e desenvolvido por Ítalo Campofiorito, Luís Maria Xavier e Peri Rocha França.

A Faculdade de Artes Dulcina de Moraes, evolução direta da Academia, seria inaugurada 10 anos após a chegada de Dulcina ao DF e forma artistas e técnicos de teatro e artes visuais desde 1982.
Dulcina de Moraes, faleceu em 1996.

A Fundação Brasileira de Teatro permanece ativa, firmando sua vocação de um espaço de formação em arte e promovendo cultura.
Link de acesso ao Estatuto